• denuncias
  • peticionamento
  • Mediação
  • administracao publica
  • fraudes trabalhistas
  • liberdade sindical
  • meio ambiente
  • promocao igualdade
  • trabalho escravo
  • trabalho infantil
  • trabalho portuario
  • mov procedimentos
  • autenticidade de documentos
    • Protocolo Administrativo
    • trabalho infantil capa face
    • aviso suspensão Osasco para mudança

    Para MPT, há risco de retrocesso no combate ao trabalho infantil

    Procuradora do Trabalho fez alerta em seminário na Assembleia Legislativa de São Paulo

    13 de junho de 2017 – O Ministério Público do Trabalho (MPT) em São Paulo participou ontem de Seminário em Comemoração ao Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp). A procuradora do Trabalho Elisiane dos Santos, que representou o procurador-chefe do MPT-SP Erich Vinícius Schramm no debate que abriu o evento, fez alerta sobre a necessidade de se manterem as conquistas já obtidas com relação ao combate ao trabalho infantil.

    Imprimir

    Junho é mês de conscientização e luta contra o trabalho infantil

    MPT em São Paulo promove eventos para divulgar a campanha #ChegadeTrabalhoInfantil e estimular a aprendizagem como um dos meios de combater esse tipo de trabalho.


    São Paulo, junho de 2017 - Dia 12 de junho é Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil. Para marcar a data, o Ministério Público do Trabalho tem realizado, desde o início de junho, audiência públicas, audiências coletivas, feiras de aprendizagens - entre outros eventos - em todo Brasil. Em São Paulo, o MPT planejou diversas atividades, que estão sendo realizadas pelo próprio órgão e em parceria com outras instituições. Confira abaixo as ações do ‘junho contra o trabalho infantil’ e se programe.

    Imprimir

    Dia nacional de combate à exploração sexual comercial de crianças e adolescentes

    *Artigo da procuradora do Trabalho Elisiane dos Santos (MPT-SP)

    Dia 18 de maio é um dia de luto e de luta. A data marca um acontecimento trágico, no ano de 1973, um crime bárbaro cometido contra uma menina de apenas 8 anos, Araceli, que foi sequestrada, drogada, violentada e assassinada por jovens de classe média alta da sociedade capixaba. O crime ficou impune e causa revolta até os dias atuais. E o que é pior, não raro, se repete, nos mais afastados rincões do país ou nas grandes cidades, contra milhares de meninas e também meninos.

    Imprimir

    • banner pcdlegal
    • banner abnt
    • banner corrupcao
    • banner mptambiental
    • banner radio
    • banner trabalholegal
    • Portal de Direitos Coletivos