• denuncias
  • peticionamento
  • protocolo
  • Mediação
  • administracao publica
  • fraudes trabalhistas
  • liberdade sindical
  • meio ambiente
  • promocao igualdade
  • trabalho escravo
  • trabalho infantil
  • trabalho portuario
  • mov procedimentos
  • autenticidade de documentos
  • Federação das Unimeds do Estado de São Paulo assina TAC com MPT para cessar prática de assédio moral
  • Conheça aqui a
  • banner somos mairoia
  • Rules and Reminders For Online Classes

Federação das Unimeds do Estado de São Paulo assina TAC com MPT para cessar prática de assédio moral

Cooperativa de planos de saúde assumiu diversas obrigações a ser implementadas, entre elas, criar e manter um programa permanente de prevenção ao assédio moral no ambiente de trabalho

 São Paulo, 25 de outubro - A operadora de plano de saúde Unimed, por meio da Federação Estadual das Cooperativas Médicas (UNIMED FESP) assinou um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) com o MPT após o órgão investigar denúncias que apontavam violações a direitos sociais dos trabalhadores por meio de assédio moral praticado na empresa. O documento foi assinado no dia seis de outubro e prevê diversas obrigações a ser implementadas pela cooperativa para efetivamente cessar a prática contra os trabalhadores.

A empresa está obrigada a se abster de praticar diretamente ou por quaisquer funcionários, independentemente do cargo ocupado, qualquer atitude que configure assédio moral. Não poderá exigir do trabalhador o cumprimento de metas por meio de ameaças e humilhações, nem cobrar metas que gerem jornadas que não atendam aos limites legais da legislação trabalhista.

Ficou determinado que a provedora de planos de saúde não poderá praticar nenhuma forma de conduta discriminatória por motivo de sexo, origem, raça, orientação sexual, deficiência etc. Ainda está estabelecido que a ré deverá se comprometer a formalizar um informe-circular a todas as pessoas ligadas a empresa comunicando que este tipo de conduta não será mais tolerado.

Por fim, Unimed Fesp deverá elaborar, criar e manter um programa permanente de prevenção ao assédio moral no ambiente de trabalho e um canal de comunicação que garanta o sigilo ou anonimato, além de proteção contra retaliações, para receber e tratar denúncias de assédio moral. A instituição deverá apurar eventuais denúncias acerca do tema e, caso constatado a violação, orientar e aplicar as punições cabíveis.

Em caso de descumprimento das obrigações assumidas com a assinatura do TAC, será aplicada multa no valor de R$ 10.000,00 pelo descumprimento de cada obrigação além de multa de R$ 5.000,00 por trabalhador prejudicado. Por último fica estipulada pagamento por danos morais coletivos no valor de R$ 100.000,00 que será pago no prazo de 90 dias.

Texto: Lucas Andrade

Edição e supervisão: Ludmila di Bernado

Imprimir

  • banner pcdlegal
  • banner abnt
  • banner corrupcao
  • banner mptambiental
  • banner radio
  • banner trabalholegal
  • Portal de Direitos Coletivos